02
Out

Você sabe para que serve a balança de bioimpedância?

Que é difícil iniciar uma dieta e segui-la à risca, isso todos nós já sabemos! Agora, você sabia que acompanhar o paciente e analisar a sua evolução na dieta também não é algo tão simples assim? Isso é devido, principalmente, à falta de precisão dos métodos convencionais utilizados ainda hoje no mercado, como o uso da balança comum. No entanto, métodos mais precisos estão disponíveis no mercado e, atualmente, tornaram-se mais acessíveis. Você já ouviu falar em balança de bioimpedância? Sabe como ela funciona? Então, acompanhe nosso post de hoje e descubra mais sobre ela!

Como funciona uma balança de bioimpedância?

A balança de bioimpedância, basicamente, avalia a densidade corporal do indivíduo por meio de uma corrente elétrica de baixa amplitude e alta frequência aplicada sobre ele. Dessa forma, mais do que simplesmente calcular o peso do indivíduo, essa balança informa a sua porcentagem de gordura, de hidratação, de osso e de músculo. Assim, torna-se uma metodologia muito mais eficiente e precisa para auxiliar os nutricionistas em como tratar seus pacientes de forma mais adequada e personalizada.

Vantagens da balança de bioimpedância e porque utilizá-la

De fato, fazer dieta é uma tarefa muito complicada. Algumas pessoas até se animam em começar uma dieta, no entanto, é muito natural que desistam logo nas primeiras semanas por não ficarem satisfeitas com os resultados iniciais. E esse é um grande erro, que só é cometido por falta de informação das pessoas, que se utilizam de parâmetros equivocados para avaliarem sua evolução na dieta. No caso das balanças convencionais, por exemplo, a sua característica principal que a torna inadequada para esse fim é o fato de ela medir o peso absoluto do indivíduo.

Para se ter uma ideia, mais da metade do peso do nosso corpo é devido à quantidade de água que ele apresenta. Quando se inicia uma dieta, grande parte do peso corporal que se perde, inicialmente, é água que estava retida no organismo e foi eliminada em decorrência da reeducação alimentar, sendo muito comum que essa perda diminua gradativamente com o passar do tempo. O indivíduo, ao analisar o seu desempenho utilizando apenas a balança comum, pode ter a falsa impressão de que seu metabolismo está respondendo rapidamente à dieta e que está perdendo gordura. Mas, quando eliminar toda a água em excesso no seu organismo e sua perda de peso se estabilizar, tornando-se gradativamente menor, essa pessoa pode se desanimar com a dieta e abandoná-la. No entanto, essa informação não é obtida pelos métodos convencionais de pesagem.

Outro exemplo que evidencia a vantagem de se utilizar uma balança de bioimpedância é quando o indivíduo inicia a prática de atividade física na academia por exemplo e, após algumas semanas de treino, percebe que seu peso aumentou. É natural que ele imagine que esse resultado não é bom e que a academia não está fazendo o efeito esperado. No entanto, esse aumento no peso, indicado pela balança convencional pode ser fruto de ganho de massa muscular e não de gordura, o que só pode ser confirmado pelo uso de uma balança de bioimpedância.  

Portanto, mais importante do que saber o peso absoluto do seu paciente é conhecer a porcentagem de gordura, de massa magra, de água no corpo e a taxa metabólica que ele apresenta. Somente após ter esses parâmetros em mãos é que se pode ter noção da real condição de seu paciente e estabelecer uma dieta mais adequada a ele.

Como fazer a pesagem?

Se você quiser avaliar a sua evolução na dieta, é importante seguir algumas regras, como, por exemplo, fazer a pesagem semanalmente, na mesma balança e no mesmo horário, para minimizar variações. É de grande importância que se faça as anotações de todos os parâmetros avaliados na balança de bioimpedância e coloque essas informações em um software específico, que irá ajudá-lo na tomada de decisões.

Caso não tenha um software desses em mãos, conheça o que o Dietwin pode te oferecer! Gostou do post de hoje? Continue acompanhando o blog para mais novidades!

Comentários