10 dicas de como motivar os pacientes

Atendimento Nutricional

10 dicas de como motivar os pacientes

dietwin
Escrito por dietwin em 18 de julho de 2017
TABELA NUTRICIONAL

Quer saber como montar tabelas nutricionais de maneira rápida sem ter que fazer cálculos? Informe o seu e-mail e pressione o botão ao lado.

Para muitas pessoas, seguir uma dieta ainda é sinônimo de grandes sacrifícios e não ter mais prazer em se alimentar. Assim, como motivar os pacientes a se manter na dieta? Uma tarefa muito importante do nutricionista é a de acabar com esses mitos, mostrando que é perfeitamente possível ter uma alimentação saudável, saborosa e usufruir de seus consequentes ganhos.

Entender sobre a realidade do paciente — financeira, sua rotina de trabalho e atividades —  é um bom ponto de partida para estruturar todo o plano alimentar. Escolhas que não sejam condizentes com sua personalidade e estilo de vida podem resultar em metas difíceis e comprometer a manutenção da dieta. É mais adequado optar por uma progressão menos acelerada, com pequenas conquistas, do que propor ações aparentemente inalcançáveis, mesmo que possam gerar melhores resultados.

A seguir, algumas dicas de como manter seu paciente focado no seu plano alimentar

1. Foque no resultado

O reconhecimento dos pontos positivos é um dos artifícios mais eficientes para motivar os pacientes a permanecerem focados no sucesso da dieta. Por isso, tente reverenciar e reconhecer cada esforço, cada medida perdida e a evolução física e nutricional!

As avaliações físicas periódicas são muito importantes para que os pacientes visualizem melhor a redução de percentuais de gordura e, até mesmo, o aumento da massa magra. Mas, não demonstre satisfação apenas com isso, tente mostrar, a cada um deles, o quanto melhoraram em seus desempenhos de atividades simples do dia a dia.

É importante mostrar que os benefícios conquistados com o tratamento podem interferir, não só nos rendimentos de atividades físicas, mas, também favorecer uma melhor qualidade de sono e ajudar a ter menos desgaste em ações e movimentos que antes o paciente tinha dificuldade.

2. Conheça seu paciente

A razão que levou o paciente a procurar orientação nutricional pode ser diversa, e pode levar à necessidade de uma abordagem diferenciada. Portanto, cabe ao profissional identificar quais são os aspectos a serem trabalhados durante o tratamento.

O nutricionista não deve apenas cobrar os resultados, mas se preocupar, também, com como o paciente está se sentindo durante o acompanhamento. Muitas vezes, algumas falhas são justificadas por descontroles emocionais ou problemas pessoais, e isso também deve ser levado em consideração.

É fundamental considerar os objetivos pessoais e as particularidades emocionais e de personalidade de cada um, para que a abordagem seja pessoal e supra as necessidades do paciente.

3. Proponha soluções para o dia a dia

Sabemos que todos têm rotinas e compromissos diários que prejudicam a disciplina com alimentação e vida saudável, mas você como um bom nutricionista deve propor soluções que convençam o seu paciente a acreditar que todas as estratégias são possíveis e podem ser adequadas ao dia a dia.

Apresente soluções e demonstre que seguir uma alimentação saudável, atualmente, pode ser mais fácil, já que há estabelecimentos que oferecem serviços rápidos e com refeições nutricionalmente completas.

As marmitinhas são aliadas que estão cada vez mais presentes na vida de quem investe em uma alimentação natural. Elas podem ser grandes aliadas de uma rotina corrida e o cliente pode leva-las à faculdade, ao trabalho, à academia e muito mais.

Para prepará-las, tente compreender as rotinas e recomende um momento por semana, possibilitando a preparação do cardápio de não só um dia, mas vários.

4. Incentive descobertas na cozinha

Cozinhar pode se tornar uma forma de descobrir receitas nutritivas e saborosas para inovar a dieta. De olho na proposta de mudança de estilo de vida, é interessante incentivar os pacientes a se arriscarem em cardápios diferentes, com receitas que possam incentivá-los a investirem ainda mais no tratamento.

O preparo de refeições completas e saborosas pode não só agradar ao paciente, como também à toda sua família e amigos, estendendo os benefícios e atraindo mais aliados ao seu consultório.

O incentivo aos pacientes para se arriscarem nas receitas ainda permite que eles conheçam melhor sobre a composição dos alimentos, possibilitando que identifiquem as informações nutricionais de suas refeições.

Essas receitas podem ser encontradas em livros ou até mesmo na internet. As redes sociais são uma excelente ferramenta para essa pesquisa!

5. Dê exemplos de pessoas próximas

Os seus demais pacientes podem ser utilizados como referenciais para esses que estão iniciando o tratamento. É importante que eles vejam que inúmeras pessoas conseguiram atingir seus objetivos, por mais difíceis que eles possam ter sido um dia.

Mostre casos semelhantes e que superaram os padrões impostos e, também, as dietas tendenciosas, que apenas prejudicariam sua saúde. Demonstre que boa forma deve ser atrelada à saúde, não sacrificando o bem-estar para se adequar ao que é tido como “corpo perfeito”. Desconstrua esse termo e incentive cada paciente a se sentir bem consigo mesmo.

Além das metas

As metas devem ser estabelecidas para serem superadas e provar que pode-se alcançar os desejos e superar as “tentações” diárias que possam comprometer suas dietas. No entanto, as metas não devem ser o alvo.

Superá-las serve como parâmetro para os ajustes das propostas e intervenções, orientando para a evolução, mas, acima de tudo, é necessário respeitar as respostas que o organismo de cada paciente oferece, sempre ressaltando que ele também pode superar e atingir os objetivos que deseja.

É importante valorizar a dedicação do paciente e os mínimos resultados, assim ele se manterá motivado a se superar cada dia mais.

6. Sempre dê orientações aos pacientes

Os pacientes devem ser orientados de acordo com as suas expectativas e suas condições atuais.

As expectativas devem ser sempre mantidas, para que esse seja o ponto motivador e determinante. A realidade deve ser apresentada de forma amigável, para que sejam reconhecidos os benefícios a serem desfrutados com todas as mudanças de hábitos.

Há pacientes que utilizam o perfil físico de outras pessoas como referência, e cabe ao nutricionista mostrar o que é possível obter com a parceria.

Um bom nutricionista deve saber motivar os pacientes a partir da realidade, o que é possível propor e pôr em prática, sempre com comprometimento e dedicação.

7. Estabeleça um plano alimentar possível

Uma das causas de evasão de tratamentos é a proposta de um plano alimentar irreal. Um bom nutricionista deve focar no gosto pessoal de cada paciente e ajustar o cardápio de acordo com a realidade de cada paciente.

Impor um cardápio com alimentos que não agradam ao paladar é apenas um erro, desmotivando os pacientes a mudarem seus estilos de vida e investirem em uma rotina mais saudável. Tente recomendar refeições com temperos novos e, até mesmo, combinar alimentos que ele goste com outros de sabor não tão agradável, sendo uma estratégia para garantir bons nutrientes na dieta.

8. Incentive os exercícios físicos

Um bom nutricionista deve se interessar também pelo rendimento de seus pacientes em atividades físicas. A alimentação é a chave para um bom treino, por isso, questionar sobre a resistência física e as avaliações dos instrutores pode ser uma estratégia para ajustar e adequar os nutrientes certos para, não só garantir a evolução alimentar, mas também a física.

Compreender o perfil de atividades físicas praticadas também pode ser determinante para a escolha de uma suplementação de qualidade, que impulsione os efeitos da dieta estabelecida.

9. Use a tecnologia como aliada

Quanto mais presente no dia a dia de seus pacientes, mais eles se sentirão seguros em continuar com o acompanhamento. Por isso, utilizar a tecnologia pode ser uma excelente forma de motivá-los.

Invista em um software de comunicação e em redes sociais. Assim, com seus posts motivacionais e dicas, a determinação será sempre reafirmada e eles sempre se sentirão mais próximos de seus objetivos.

Os seus perfis e redes sociais ainda possibilitam que eles conheçam pessoas que se superaram e já vivenciaram situações semelhantes, permitindo, ainda, a troca de experiências entre pacientes com objetivos em comum.

10. Vá além das prescrições

Se você não só deseja se destacar como profissional, mas também quer motivar os pacientes para que eles tenham sucesso pessoal, olhe-os não como pacientes, mas como amigos ou pessoas que te procuram por depositarem esperança em sua metodologia de trabalho.

Invista em um atendimento diferenciado e trabalhe além da proposição de dietas e contribua para novos hábitos e percepções de vida.

Gostou das nossas dicas sobre como motivar os pacientes? Assine a nossa newsletter e fique, sempre, por dentro das nossas novidades!

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dúvidas? Entre em contato

Realizamos o suporte via e-mail.