Como engajar seus pacientes em um novo plano alimentar?

Atendimento Nutricional

Como engajar seus pacientes em um novo plano alimentar?

dietwin
Escrito por dietwin em 24 de outubro de 2017
TABELA NUTRICIONAL

Quer saber como montar tabelas nutricionais de maneira rápida sem ter que fazer cálculos? Informe o seu e-mail e pressione o botão ao lado.

O plano alimentar é uma ferramenta chave na consulta do nutricionista. Seu objetivo é detalhar de forma clara como o paciente deve se alimentar. Além de conter os alimentos que o indivíduo deve consumir, o plano alimentar informa sobre a quantidade que deve ser consumida e também sobre como deve ser realizado o fracionamento das refeições.

No entanto, engajar os pacientes em um novo planejamento alimentar pode não ser uma tarefa fácil. Afinal, queixas em relação à dificuldade de seguir o plano proposto são comuns.

Por esse motivo, nós separamos algumas dicas imperdíveis que podem facilitar a elaboração do seu planejamento e consequentemente a aderência dos seus pacientes. Confira!

Conheça o seu paciente

A realização de uma boa anamnese é o primeiro passo para a elaboração de um bom plano alimentar.  Você deve coletar informações como nome, idade, profissão, doenças prévias, rotina do indivíduo, hábitos e preferências alimentares.

Também é importante que você faça uma avaliação do consumo alimentar. Normalmente, o mais utilizado é o recordatório 24 horas. Essa avaliação permite que você compreenda a forma que o seu paciente se alimenta.

Tudo isso permitirá que você identifique quais são os pontos que merecem mais atenção no momento do seu planejamento. Conhecendo a rotina, as preferências alimentares e o histórico clínico, será mais fácil montar um plano dentro das possibilidades do seu paciente.

Faça uma boa avaliação física

Após saber se o seu cliente tem alguma doença diagnosticada e se ele necessita de alguma avaliação bioquímica, chegou a hora de você realizar uma boa avaliação antropométrica. Nessa avaliação você coletará informações como peso, altura, percentual de gordura e circunferências corporais.

O diálogo com o seu paciente nesta etapa é de extrema importância. Nessa hora, deixe claro quais são as metas possíveis de serem alcançadas, assim como os objetivos. Dessa forma, você conseguirá direcionar o seu planejamento e reduzirá as chances de frustração do seu cliente.

Invista em ferramentas tecnológicas

Para otimizar o seu tempo é interessante que você tenha um software para a montagem do seu plano. Nesta ferramenta você poderá registrar os dados da anamnese e das demais avaliações de forma segura. Além disso, os nutrientes e as porções dos alimentos serão calculados de forma mais prática.

Esse tipo de ferramenta permite que você registre todas as informações do indivíduo. Dessa forma, será mais fácil realizar um planejamento mais objetivo e de conseguir visualizar de forma mais eficaz a evolução do seu cliente.

Elabore um plano alimentar possível

Este também é um ponto fundamental para garantir o engajamento do seu paciente com o planejado. Após realizar uma avaliação minuciosa e investir em um bom software, é necessário que você saiba utilizar as informações que você tem sobre o seu cliente.

Um bom plano alimentar deve se adequar as condições socioeconômicas do seu paciente. Ademais, a rotina também é um ponto muito importante. Tudo deve ser planejado de forma que o indivíduo consiga adquirir, preparar e ingerir o alimento de forma prática.

Se você conseguir alinhar o seu planejamento com o objetivo e rotina do paciente, você aumentará as chances dele se engajar com o novo plano alimentar.

Seja atencioso

Um bom nutricionista sabe motivar o paciente. Uma conversa franca é fundamental para que vocês exponham as suas expectativas. É importante que você deixe claro que o engajamento do cliente com o novo plano alimentar é fundamental para o alcance dos seus objetivos e que as mudanças dependem dele.

Separar um tempo na agenda para contatar os seus pacientes antes do retorno também é uma boa estratégia. Isso mostrará que você é um nutricionista atencioso e que se preocupa com a motivação do cliente. Portanto, pergunte ao paciente se ele tem conseguido seguir o seu planejamento e o motive diante das dificuldades.

Montar um plano alimentar é uma tarefa complexa. No entanto, seguindo esses passos você perceberá que ficará mais fácil de construir um planejamento objetivo, focado na qualidade alimentar e que atenda as expectativas do seu paciente.

Quer mais dicas como essas? Siga a gente nas redes sociais e fique por dentro de outras estratégias que podem ajudar a melhorar o seu atendimento.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dúvidas? Entre em contato

Realizamos o suporte via e-mail.